Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Lista dos jatinhos não mirou em 2022, diz Montezano

Equipe BR Político

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, negou nesta terça-feira, 27, que a divulgação da lista dos 134 empresários que tomaram empréstimos junto ao banco para comprar jatinhos executivos tenha tido como objetivo prejudicar eventuais pré-candidatos à Presidência da República, como o apresentador Luciano Huck e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que apareceram na lista. “Temos alguns grupos de estudo e de auditorias internas que estão olhando diversos casos que são falados pela sociedade e que arranham a credibilidade do banco. À medida em que vamos tendo conforto em cada um dos eventos, em cada um dos casos, a gente está vindo à público colocar isso para a sociedade”, explicou, durante reunião da CPI do BNDES.

O anúncio sobre a divulgação da lista foi citado como uma das medidas para “abrir a caixa-preta do BNDES”, e foi feita pelo próprio presidente Jair Bolsonaro em reação a uma crítica feita por Huck. “O tratamento que a gente deu naquela divulgação foi idôneo e idêntico a todos os tomadores de recursos e para deixar claro, não tem nenhum sigilo ali. As informações já eram públicas, mas eram desorganizadas o que dificultava a leitura e o entendimento”, afirmou Montezano. Montezano destacou que só vai revelar novas informações sobre a chamada “caixa-preta” quando as investigações estiverem mais avançadas e o banco estiver confortável com a forma de divulgação das informações.  “Se colocarmos os dados brutos no site, as pessoas se perdem. Temos que saber explicar às pessoas. Nossa função é técnica. Temos que ser neutros e elucidar as dúvidas da população, mas quem vai julgar é a Justiça”, disse.

Assine o BR Político para ter acesso a produtos e informações exclusivos. Clique neste link para se tornar um assinante.