Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Lula não tem condições de encarnar uma perspectiva democrática’

Equipe BR Político

No Brasil de 2019, Lula não é a figura capaz de encarnar uma solução democrática. Essa é a avaliação do historiador e cientista político Boris Fausto. Em entrevista ao Globo, ele repercute o cenário político do País após a soltura do ex-presidente Lula.

“Nós não temos Mandela neste país. O Mandela é uma exceção. As tendências de polarização são muito fortes e navegar é preciso. É preciso um pouco de lucidez. Até quando vamos continuar nisso?”, questiona.

A saída, para amenizar o radicalismo na polarização, segundo ele, seria a construção de diálogo entre diversos atores do debate. “A polarização vai acontecer e será inevitável. O que se deve fazer, do ponto de vista da ação, é construir alguns centros com intenções e conteúdo marcadamente social em um país com tantas desigualdades”, disse.

Segundo Boris Fausto, o ex-presidente não chega nem perto de ser o personagem que vai carregar esta bandeira. “Só que o Lula não tem condições, mesmo saindo da cadeia e tendo a militância que tem, de encarnar uma perspectiva democrática, social, que olhe para frente e diga: bom vamos garantir liberdade, e atacar seriamente as questões iníquas que existem neste país, desigualdade social e de gênero, combater o racismo”, avalia.

Tudo o que sabemos sobre:

LulaBoris Faustodemocraciapolarização