Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia cobra ‘muro’ para separar Forças Armadas do governo

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, citou em entrevista ao Estadão haver um “muro” entre o Estado, ao qual as Forças Armadas estão ligadas, e o governo ao ser questionado sobre o espaço ocupado pelos militares no governo.

“É importante separar o Estado e o governo. As Forças Armadas estão no Estado. Os gestores públicos, os ministros, o presidente estão no governo. É importante que fique claro que há um muro. Não é algo contra os militares que estão no governo Bolsonaro, mas esse debate vai acontecer, no mínimo, para o próximo governo, para que fique clara essa separação. Quem vem para cá (governo) vai precisar não ter vínculo com o Estado. Quando um militar da ativa entra no governo ele traz parte do Estado e, muitas vezes, pode misturar as coisas, e é importante que a gente consiga organizar isso.”

Rodrigo Maia. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Maia também analisou que a polarização entre PT e Bolsonaro pode se repetir em 2022, equiparando, no entanto, o “radicalismo” que ele afirma haver nas duas partes, nas palavras dele.

“Se não surgir um candidato que tenha uma agenda reformista na economia e menos radical na questão dos valores, pode se repetir. A sociedade é conservadora, mas o radicalismo de um lado ou de outro vem gerando essa polarização.”

Sobre as vias que o governo busca para tentar furar o teto de gastos, Maia enxerga a possibilidade de pedaladas “se o governo editar um crédito extraordinário e depois transformar em restos a pagar (para ampliar o espaço para gastar em 2021), aí pode ser uma pedalada”.

Tudo o que sabemos sobre:

Rodrigo MaiaForças Armadasmuro