Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Maia critica obstruções de base do governo e cobra ‘interesse’ por reformas

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou nesta terça-feira, 27, a obstrução que a base do governo tem feito na pauta da Casa. Há semanas a base e a oposição têm travado votações. Maia cobrou “mais interesse” do governo para votar as reformas que o presidente da Câmara pretendia passar ainda nesta ano, a PEC Emergencial e a tributária.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em coletiva nesta terça

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em coletiva nesta terça Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

“Não sou eu que estou obstruindo, é a base do governo. Se o governo não tem interesse nas medidas provisórias não tenho o que fazer, eu pauto, a base obstrui, eu cancelo a sessão. Espero que quando tivermos que votar a PEC Emergencial, a reforma tributária, o governo tenha mais interesse e a própria base tire a obstrução da base da Câmara”, disse em coletiva.

Disputa pela CMO

Questionado sobre a instauração da Comissão Mista de Orçamento (CMO), que tem sido travada pela disputa entre aliados de Maia e do líder do PP Arthur Lira (AL) pela sua presidência, o presidente da Casa lembrou o acordo prévio firmado para colocar Elmar Nascimento (DEM-BA) na posição, que Lira decidiu ignorar.

“Tem um acordo feito em fevereiro. Se o acordo não vai ser cumprido, difícil a CMO funcionar, aí é um problema do governo”, disse. “A CMO funciona por acordo. Se o acordo foi desfeito, faz parte do processo, mas também inviabiliza a necessidade nesse momento do seu funcionamento. Até porque ela não funciona com obstrução sistemática feita, não funcionou em governo nenhum”, disse.