Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia diz que ‘enfim’ Bolsonaro se preocupou com crédito suplementar

Marcelo de Moraes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, achou importante o presidente Jair Bolsonaro ter falado, pela primeira vez, sobre o risco de o Congresso não votar a tempo a liberação do crédito suplementar de R$ 428,9 bilhões. Bolsonaro disse, neste sábado, que se o PLN4 não for aprovado o governo terá de interromper os pagamentos do BPC já no dia 25. Os recursos desse crédito são previstos para bancar BPC, Bolsa Família, pagamentos previdenciários, Pronaf, Proagro e Plano Safra, entre outros programas.

“Muito bom o presidente Jair Bolsonaro, enfim, ter mostrado preocupação com este tema. Matéria enviada pelo governo no dia 11 de março de 2019, já faz parte da preocupação do Congresso desde o início do ano. Aliás, no ano passado, o deputado Pedro Paulo apresentou uma PEC tratando da regra de ouro, pois este problema já estava projetado desde o final de 2018”, diz Maia. “Até agora, alguns programas do governo estão parados, mas não pelo atraso na aprovação de algum projeto de lei”, acrescenta. E Maia vai adiante: “O Congresso, inclusive, foi o responsável pela aprovação de projetos fundamentais e também por rejeitar projetos que faziam mal ao Brasil. Aprovamos o Plano Real, o fundo de combate à pobreza; que garantiu as condições para a criação do Bolsa Família, e acabamos com a CPMF.”, afirma. /M.M.

Tudo o que sabemos sobre:

regra de ouroRodrigo Maia