Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia diz que Weintraub trabalhou em banco que ‘quebrou’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Um dos maiores críticos no Congresso do ex-ministro Abraham Weintraub à frente do MEC, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o ex-titular da pasta trabalhou em banco que “quebrou”, em 2009, ao ser questionado nesta tarde de quinta, 18, sobre a ida do economista para o Banco Mundial como prêmio de consolação. “Não sabem que ele (Weintraub) trabalhou no Banco Votorantim, que quebrou em 2009. Ele era um dos economistas do banco”, disse em entrevista coletiva. Indagado se acha que Weintraub vai quebrar o Banco Mundial, Maia respondeu que a pergunta deveria ser direcionada a quem o indicou para o cargo.

Weintraub trabalhou no Banco Votorantim, hoje rebatizado de BV Financeira, por 18 anos. Após ser demitido, foi para a Quest Investimentos na tentativa de gerir ativos de Estados e municípios entre 2014 e 2015, ideia que acabou naufragando pela falta de clientes e investidores. A BV hoje é controlada pelo Banco do Brasil e pela família Ermírio de Moraes, desde 2009.

Maia afirmou também que espera que o MEC melhore com a saída de Weintraub. “Estava muito ruim”, afirmou. “Todo mundo sabe minha posição. Não adianta ficar aqui reafirmando; acho que não é isso que vai melhorar diálogo com o MEC. Espero que possamos ter alguém comprometido no Ministério da Educação com futuro das nossas crianças”, disse. A pasta é alvo de disputa por nomes do Centrão, do qual o DEM faz parte.

Tudo o que sabemos sobre:

Abraham WeintraubBanco MundialRodrigo Maia