Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia: ‘Nossa Constituição é sagrada’

Marcelo de Moraes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aproveitou a solenidade de promulgação da reforma da Previdência para mandar um claro recado contra a pressa para aprovar imediatamente uma mudança constitucional para garantir a prisão depois de condenação em segunda instância. Para Maia, “a falta de celeridade do Judiciário joga uma pressão no Legislativo para um debate que precisa ser feito, mas com muito cuidado”.

Maia saiu em defesa da Constituição e do papel da política como solução para os problemas do País. O deputado citou o caso da crise política chilena num exemplo de como vilanizar a política pode ter consequências negativas.

“A nossa Constituição é sagrada. Naqueles pontos que não podem ser modificados, deveríamos respeitá-la. Porque, em junho, eu ouvi o presidente chileno, num grande evento, que deve ser um evento oficial anual, ao falar uma grande frase de efeito, ser muito aplaudido. Ele disse que iria propor a redução do número de parlamentares. Ele culpou a política pela sua crise e ele vive a maior crise que o Chile vive desde a ditadura militar”, disse.

“A política é a solução dos nossos problemas, e é aqui, nesta Casa, que nós vamos construir todas as soluções, de forma transparente, com diálogo, mas, acima de tudo, respeitando a nossa Constituição, reformando-a onde podemos reformá-la, respeitando-a e protegendo-a onde foi a decisão do Constituinte originário. Este é o nosso papel se queremos e devemos viver numa democracia, numa democracia forte, o que, aí sim, atrai investimentos e a confiança de investidores privados do nosso País e, principalmente, do exterior, que são muito importantes”, afirmou Maia.