Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia pró-veto ao reajuste salarial de servidores

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Sob o argumento de que o funcionalismo precisa dar a sua contribuição diante da crise, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta quinta-feira, 20, a manutenção do veto presidencial que congelou salários de servidores públicos civis e militares.

Rodrigo Maia defende manutenção do veto ai reajuste salarial de servidores durante a pandemia. Foto: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados

Ao lado dos líderes do governo e aliados, o parlamentar afirmou que vai trabalhar para manter o veto do presidente Jair Bolsonaro. A Câmara vota a manutenção do veto na sessão do Congresso Nacional prevista para a tarde de hoje.

“Sabemos que o fluxo de recursos vai ser reduzido e isso terá um impacto ainda nos próximos meses, até o próximo ano, na economia e na vida das pessoas. Então, nós entendemos que esse veto é muito importante a sua manutenção para que a gente possa dar uma sinalização clara de que queremos atender Estados, Municípios e sociedade, mas tudo dentro do equilíbrio fiscal”, afirmou há pouco.

O Ministério da Economia calcula que, se confirmada pelos deputados federais, a derrubada do veto presidencial compromete uma economia fiscal entre R$ 121 bilhões e R$ 132 bilhões.

“A responsabilidade (fiscal só estará garantida com a manutenção do veto. Sabemos que tem muita pressão contra, mas vamos continuar trabalhando”, prometeu Maia. Mais cedo, Bolsonaro afirmou que é “impossível” governar o País se a Câmara mantiver a decisão tomada ontem do Senado.