Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia: ‘Prudência não pode ser confundida com medo ou hesitação’

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

No discurso em que defendeu a retomada do movimento de pacificação política entre os Poderes, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, lembrou que tem procurado ser “prudente e observar irrestritamente as normas constitucionais”. Mesmo sem citar o caso, a fala foi uma referência à pressão que tem recebido para aceitar algum dos mais de trinta pedidos de abertura de processo de impeachment contra Jair Bolsonaro.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

“Permitam-me lembrar, também, que nos momentos mais críticos, nesses últimos anos, tenho procurado ser prudente e observar irrestritamente as normas constitucionais. Prudência não pode ser confundida com medo ou com hesitação”, disse. “A coragem, muitas vezes, está em saber construir a paz”, afirmou.

“Vivemos hoje, permitam-me repetir mais uma vez, um momento muito grave da nossa história. A voz dessa Casa das Leis, que presido, deve traduzir a voz da maioria do povo brasileiro, que nos ordena para juntar os cacos das nossas convergências, para unidos vencermos o grande desafio. E o nosso grande desafio é derrotar o coronavírus, vencer a gravíssima crise social e econômica que está a nossa frente, preservando a nossa democracia. Repito, preservando a nossa democracia”, destacou.

Tudo o que sabemos sobre:

Rodrigo MaiaPoderesJair Bolsonaro