Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia reforça defesa por reforma administrativa

Equipe BR Político

Na avaliação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a política precisa decidir se vai manter um Orçamento que apenas paga as atividades meio “ou se vai querer ter um orçamento que volte a investir na transformação da vida das pessoas no País”, disse nesta terça-feira, 3, em evento na Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília.

Presidente da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ)

Rodrigo Maia. Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O parlamentar foi questionado sobre se a reforma administrativa seria prioritária em detrimento à tributária, já que a primeira é necessária para reduzir o tamanho da máquina pública e assim, dar fôlego ao Orçamento.“Não, o que acontece é que reforma tributária já está andando nas duas Casas. A questão é que as pessoas têm muita expectativa que em algum momento a decisão do governo federal e do parlamento será a redução dos impostos, mas ela só vai existir se a gente aprovar um novo Estado”, afirmou. O novo Estado que ele cita passaria por uma reformulação da administração e de recursos humanos.

De acordo com avaliação feita ontem por Maia, se a reforma administrativa não for aprovada, a tributária será ineficaz. Em evento no Rio de Janeiro, o presidente da Câmara havia dito que a administrativa era “prioridade número um”. “Sem você reduzir o tamanho do Estado, você não reduz carga tributária”, alertou. Ele voltou a cobrar que o “o governo envie também a sua proposta tributária”. Segundo Maia, este é o único pleito com o governo, no momento.