Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia tenta acalmar ânimos entre Eduardo e a China

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), teve de interferir na crise diplomática causada por Eduardo Bolsonaro. Maia foi ao Twitter pedir desculpas em nome da Câmara dos Deputados após o filho do presidente, que é deputado federal, ter acusado sem provas a China de omitir propositalmente informações sobre o coronavírus. “Em nome da Câmara dos Deputados, peço desculpas à China e ao embaixador Yang Wanming  pelas palavras irrefletidas do Deputado Eduardo Bolsonaro”, escreveu.

“A atitude não condiz com a importância da parceria estratégica Brasil-China e com os ritos da diplomacia. Em nome de meus colegas, reitero os laços de fraternidade entre nossos dois países. Torço para que, em breve, possamos sair da atual crise ainda mais fortes”, completou Maia. Eduardo compartilhou em suas redes sociais uma sequências de postagens que afirmam que o governo chinês escondeu propositalmente o coronavírus. Nas redes sociais, a ala olavista de apoiadores do governo tem compartilhado a fake news de que a doença faz parte de um plano chinês para prejudicar a economia mundial e o presidente norte-americano, Donald Trump.