Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia vai a tribuna defender manutenção do congelamento

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumiu para si a tarefa de defender a manutenção do veto presidencial para ampliação de categorias livres do congelamento de salário. Em atitude pouco comum, Maia foi à tribuna orientar voto pelo DEM na votação do Congresso Nacional. Ele defendeu a mudança de entendimento do Congresso, que aprovou o texto de ajuda para Estados e municípios vetado por Jair Bolsonaro. E disse ser uma questão de “princípios” o congelamento de salários, incluindo dos profissionais da segurança, educação e saúde.

“Se não controlarmos os gastos dos entes federados, que vai pagar a conta são os cidadãos”, disse. “Isso não é uma questão de valor. Essa votação tem apenas uma questão simbólica. Ela vai na sinalização deste princípio. Não é possível com mais de 16 milhões de contratos de trabalho suspensos, 2 milhões de desempregados, a gente não possa dar uma sinalização. Sinalizar de que o serviço público não vai aumentar salários no próximo ano”, afirmou.

“Venho defender a manutenção do veto. Tenho certeza de que essa é a decisão correta”, encerrou Maia, sendo aplaudido pelo plenário.