Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maioria desaprova postura de Bolsonaro diante do coronavírus

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Diante do medo de contágio do novo coronavírus, a maioria da população brasileira desaprova a postura do presidente Jair Bolsonaro de flexibilizar as políticas de combate à covid-19, segundo pesquisa feita pela consultoria Ideia Big Data para o BRP. A fatia dos que a rejeitam no levantamento feito nos dias 31 de março e 1 de abril, 34% desaprovam totalmente e 18% desaprovam. Dos que aprovam (21%), 5% dizem estar totalmente de acordo com o presidente e 16% aprovam.

Os dados refletem um temor crescente da população com a doença, segundo dados coletados em meados de março. Hoje, 64% acreditam que o ideal é isolar o maior número possível de pessoas do convívio social, enquanto 28% defendem o afastamento apenas das pessoas idosas e de outros grupos de risco para combater o patógeno. Outro dado associado ao temor é que hoje 78% das pessoas têm ficado em casa e só saem em casos de necessidade, contra 15% dos que têm saído porque precisam trabalhar.

Perfil

Dos 34% que desaprovam totalmente as recomendações de Bolsonaro, 40% são mulheres, 43% vêm das classes A e B, 47% têm ensino superior, 46% ganham mais de cinco salários mínimos e 39% deles se dizem católicos.

Já dos 16% que as avalizam, 21% são homens, 21% vêm da Região Centro-Oeste, 25% da Norte e 21% se dizem evangélicos. Da pequena parcela dos 5% totalmente aprovadores dos conselhos do presidente para combater a covid-19, 10% ganham de 3 a 5 salários mínimos e 12%, acima de cinco salários mínimos.

No grupo maioral dos que defendem isolamento total da população, 73% são mulheres, 71% têm entre 18 e 29 anos, 71% vêm das classes A e B, 72% têm ensino superior, 70% ganham de 3 a 5 salários mínimos e 72% se dizem católicos.

Mandato

A consultoria também perguntou aos entrevistados se eles acreditam que o presidente tem condições de seguir no cargo em razão das críticas que ele tem recebido. A resposta não aponta sobreposição de preferências: 41% dizem que ele não tem e 40%, que ele tem.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonaropesquisacoronavírus