Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Maioria dos chilenos vota por nova constituição

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Por ampla maioria, os chilenos decidiram que o país terá uma nova constituição. É o que indica a apuração do plebiscito realizado no domingo, 25, um ano após a onda de protestos violentos que tomou o país. Mais de dois terços dos chilenos votaram pela redação de uma nova constituição para o Chile, segundo o serviço eleitoral que, na madrugada desta segunda, já havia apurado mais de 97% das urnas do plebiscito.

Manifestantes em ato em Santiago durante os protestos que geraram a cobrança por uma nova constituição (2019). Foto: Rodrigo Garrido / Reuters

A autoridade eleitoral afirmou que de 7,3 milhões de votos contados, 78% favoreciam uma nova constituição e menos de 21,7% a opunham.

Depois do fechamento das urnas, centenas de manifestantes se reuniram na Praça Itália, em Santiago. O local se tornou um símbolo dos protestos que tomaram o Chile em 2019 e que levaram à proposta de uma nova constituição.

Também estava em jogo a maneira de se fazer a nova constituição. Os resultados preliminares revelaram 79% votos favoráveis à que a lei seja elaborada por um grupo 155 cidadãos que serão eleitos apenas para esse propósito em abril e 20,76% votaram pela redação da lei por um grupo de 172 pessoas – dividido igualmente entre delegados eleitos e parlamentares.

Entre os 60.000 chilenos que vivem fora do país, o voto foi de 86% por uma nova constituição e 13% contra, afirmaram as autoridades. Cerca de 15 milhões de chilenos estavam aptos a votar e participação era voluntária.

 

Tudo o que sabemos sobre:

chilenova constituição