Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mais 32 policiais envolvidos na ação em Paraisópolis são afastados

Equipe BR Político

Após mais um encontro com familiares das vítimas pisoteadas em Paraisópolis, na segunda-feira, 9, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), decidiu afastar mais 32 policiais militares que atuaram na ocorrência. Outros seis já haviam sido afastados no dia seguinte ao caso. O afastamento era um pedido dos familiares, que temiam de que os agentes trabalhassem para prejudicar as investigações.

Os 32 policiais fazem parte da tropa do 16.º Batalhão, que atua na área de Paraisópolis. As investigações são conduzidas pela Corregedoria da PM e pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil. Para as famílias, os policiais contribuíram diretamente com as mortes ao encurralarem os frequentadores do baile funk em vielas, informou o Estadão.

Em nota, o governador disse reafirmar o “comprometimento do Governo de São Paulo para que as investigações das mortes sejam transparentes e rigorosas, com acompanhamento de órgãos independentes de fiscalização, como o Ministério Público e a Defensoria Pública”.