Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Mais rivais ensaiam questionar saúde de Covas

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Celso Russomanno (Republicanos) escancarou em fala nesta semana algo que outras campanhas em São Paulo começam a explorar de forma menos direta: o questionamento à saúde de Bruno Covas e sua capacidade de governar caso reeleito.

Num evento para empresários, Russomanno afirmou: “E agora eles [campanha de Covas] já prepararam o novo vice, que deve ser o que vai assumir, cheio de rolo na vida. Pior, ganhando dinheiro em cima de crianças, de creches”.

A exploração do fato de o tucano tratar um câncer há um ano provocou revolta no QG da campanha e mereceu repúdio de editorial do Estadão, mas ele não é o único a flertar com o tema. Num segundo turno, inclusive, candidatos fazem testes de como abordar a questão sem incorrer na mesma insensibilidade revelada por Russomanno.

Na sabatina no Estadão na última quinta-feira, Márcio França circundou o tema em algumas respostas, mesmo sem ser perguntado diretamente sobre isso. Ao abordar sua rivalidade com João Doria, disse que Covas é um “bom menino”, “uma pessoa valente”, fez menção à sua coragem para enfrentar a doença, mas questionou se ele estaria focado na prefeitura caso reeleito e fez menção à sua fragilidade e à falta de “pulso”. Afirmou que hoje quem governa a cidade é “um grupo de vereadores”, porque o prefeito “está sem nenhuma condição”.

O vice de Covas, Ricardo Nunes (MDB), que é vereador, tem sido alvo de diversas reportagens apontando interesses de suas empresas em contratos e convênios com a prefeitura. Isso deverá ser mais explorado no segundo turno, seja quem for o adversário do prefeito.

Na sua participação no ciclo de entrevistas que promovemos aqui no BRP, Bruno Covas disse que ainda tem um tratamento a fazer para o câncer, que está controlado, mas do qual não está curado, disse se sentir em perfeitas condições de saúde para o dia a dia e reafirmou a disposição de ser transparente ao comunicar seu estado de saúde à população.