Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mais uma semana sem as prometidas reformas

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Mais uma semana se passou e mais uma vez o governo adiou o envio das reformas prometidas. Na semana passada o ministro Paulo Guedes disse que tanto as sugestões para a reforma tributária quando o projeto da reforma administrativa estariam nas mãos dos Congressistas em menos de sete dias. Não aconteceu. Desta vez há a desculpa de que a pandemia de coronavírus tomou conta das atenções. Mas há pelo menos um semestre que a equipe econômica promete “em breve” enviar as propostas.

Essa “falta de concretabilidade” irrita parlamentares. Na quarta-feira, por exemplo, em reunião convocada para discutir medidas emergenciais para conter o Covid-19, Guedes foi criticado por sua postura. Ele não teria apresentado medidas concretas para ajudar a Economia brasileira a conter as sucessivas quedas causadas pelo pânico dos mercados. Enquanto isso, Henrique Mandetta (Saúde), recebeu elogios de parlamentares de situação, centro e oposição justamente por apresentar o que planeja fazer. E deve receber sem maiores problemas R$ 5 bilhões para lutar contra o coronavírus.