Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mandetta revela que Flávio tentou interferir no Ministério da Saúde

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ex-ministro da Saúde, Henrique Mandetta, traz algumas revelações importantes em seu livro “Um Paciente Chamado Brasil”, que trata de sua passagem pela pasta, e que mostra como funciona as entranhas do governo de Jair Bolsonaro. Em certa passagem, revela que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) queria alterar quadros técnicos do ministério para colocar indicações suas.

A pressão começou em janeiro, uma semana antes do Fórum Econômico Mundial em Davos. E antes da pandemia de coronavírus chegar em terras tupiniquins. Mandetta foi informado por seu chefe de gabinete que a presidência havia requisitado a exoneração de quatro nomes em cargos-chave do ministério: o secretário-executivo, João Gabbardo dos Reis, o secretário de Atenção Primária à Saúde, Erno Harzheim, o secretário de Atenção Especializada em Saúde, Francisco de Assis Figueiredo e o diretor do Departamento de Informática do SUS, Jacson Barros.

Bolsonaro teria dito para Mandetta que os quatro não eram “gente nossa”. E que a sugestão pela mudança havia partido do primogênito do clã. As alterações fariam as indicações de Flávio controlarem 80% do Ministério da Saúde, segundo o ex-ministro.