Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mandetta sob aviso prévio

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Depois de vários dias de tensão, a demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, parece certa. Ele comunicou a equipe da pasta, nesta quarta-feira, 15, sobre a possível saída do cargo em meio à pandemia do novo coronavírus e causou um clima de despedida entre os funcionários do ministério, segundo o Estadão. O presidente Jair Bolsonaro não teria informado quando pretende desligar o auxiliar.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta Foto: Adriano Machado/Reuters

Ainda não está confirmado o nome que substituiria Mandetta. Mas, uma solução provisória, segundo integrantes do governo, seria colocar o “número 2” do ministério, João Gabbardo, no cargo. A leitura é de que a troca seria menos traumática para o momento que apostar no deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), que é radicalmente contra a estratégia de isolamento social para combater a doença, como hoje defende o ministério.

Além desses dois nomes, em uma lista que circula entre os funcionários do ministério e da indústria da saúde, também são cotados Antonio Barra Torres, médico, contra-almirante e presidente substituto da Anvisa; Ludhmila Hajjar, diretora de Ciência e Inovação da Sociedade Brasileira de Cardiologia; Claudio Lottemberg, presidente do Conselho do Hospital Israelita Albert Einstein; e Nise Yamaguchi; oncologista e imunologista defensora do uso da cloroquina para pacientes com sintomas leves da covid-19.