Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maranhão dribla ‘concorrentes’ e compra respiradores e máscaras da China

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Depois de algumas tentativas frustradas e comprar respiradores, e ter as cargas sendo interceptadas ou a negociação atravessada por países como Alemanha, Estados Unidos e o próprio governo Federal, o Maranhão montou uma operação digna de Hollywood para conseguir transportar 107 respiradores e 200 mil máscaras da China.

Logística demorou 20 dias, contou com 30 pessoas e custou R$ 6 milhões

Logística demorou 20 dias, contou com 30 pessoas e custou R$ 6 milhões Foto: Khaled Abdullah/Reuters

A logística demorou 20 dias, contou com o envolvimento de 30 pessoas e custou R$ 6 milhões. Parte “significativa” do valor foi paga por empresários, segundo o secretário estadual de Indústria e Comércio, Simplício Araújo. Com a ajuda de uma importadora maranhense, o governo estadual passou a negociar com uma empresa de Guangzhou, que enviou os respiradores para a Etiópia, com o objetivo de escapar do radar da Europa e dos EUA, revelou o Painel da Folha, nesta quinta-feira, 16.

De acordo com o secretário, o cargueiro que saiu da China e aterrissou em São Paulo teve o frete pago pela mineradora Vale. Como estratégia para driblar uma possível interceptação do governo federal, a liberação na alfândega não foi feita na capital paulista. Os equipamentos chegaram ontem a São Luís.

Araújo afirma que 60% dos leitos de UTI do Estado estão ocupados. A Secretaria de Saúde do Estado registra, até as 13h40 de hoje, 695 confirmados de contaminação pelo novo coronavírus, 37 óbitos e 3.202 suspeitos.