Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Marcha das Margaridas nas ruas de Brasília

Equipe BR Político

Trabalhadoras rurais de todo País realizam na manhã desta quarta-feira, 14, a Marcha das Margaridas, pelas ruas de Brasília. A manifestação ocorre desde 2000 e conta com a participação de agricultoras familiares, ribeirinhas, quilombolas, pescadoras, extrativistas, camponesas, quebradeiras de coco, trabalhadoras urbanas e dos movimentos feministas e de mulheres indígenas da América Latina. Políticos de esquerda também participaram do evento. O fim da violência contra as mulheres é uma das principais reivindicações da marcha. Além disso, pautas relacionadas ao governo Bolsonaro também estão no radar das manifestantes. Entre elas, a luta contra o avanço do desmatamento na Amazônia, a liberação de agrotóxicos, direito a terras, e por melhores condições de trabalho.

O tema deste ano é “Margaridas na luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência”. No entanto, a pauta única do PT, “Lula livre”, também fez parte das atividades desta manhã. O ex-candidato à Presidência, Fernando Haddad (PT), discursou no evento e defendeu a liberdade do petista. Uma carta do ex-presidente Lula foi lida durante os discursos. “Mas mesmo que eles coloquem paredes para me impedir de estar aí fisicamente, continuamos juntos, lado a lado, nessa marcha”, diz um trecho da carta. Gritos de “Lula livre” e “fora Bolsonaro” fizeram parte do evento.