Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Marco Aurélio Mello é a única voz dissonante sobre o inquérito das fake news

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Enquanto o Brasil discutia a prisão de Fabrício Queiroz e a demissão de Abraham Weintraub, surgiu a primeira voz dissonante no Supremo sobre o inquérito das fake news. O ministro, que abriu o placar pelo fim das investigações, foi Marco Aurélio Mello. O magistrado criticou o inquérito por ter sido iniciado sem provocação. “Não pode a vítima instaurar um inquérito”, disse.

“Estamos diante de um inquérito natimorto. E ante as achegas verificadas depois de instaurado, diria mesmo, um inquérito do fim do mundo, sem limites”, afirmou. Assim, o placar final foi de 10 a 1, com apenas Marco Aurélio sendo contrário à continuidade o das investigações sobre ameaças contra ministros da Corte.

Tudo o que sabemos sobre:

STFMarco Aurélio Mello