Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Marina: ‘Brasil amanheceu sem comando para enfrentar o coronavírus’

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

A ex-senadora Marina Silva criticou duramente a atitude de Jair Bolsonaro de defender o relaxamento da quarentena contra o coronavírus. Para ela, o presidente demonstrou que não tem condições de liderar o combate à doença no País.

A ex-candidata à Presidência Marina Silva

A ex-candidata à Presidência Marina Silva Foto: Hélvio Romero/Estadão

“O Brasil amanheceu perigosamente sem comando para enfrentar o coronavírus. O Presidente desautorizou publicamente as medidas adotadas no país de acordo com as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS)”, escreveu Marina nas suas redes sociais.

Para ela, o presidente “chantageia” o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ao defender uma mudança na estratégia de combate ao coronavírus que vem sendo feita.

“Para sustentar sua postura irresponsável, na ausência de balizas éticas e técnicas, o Presidente, de maneira autoritária, chantageia o Ministro da Saúde e faz ameaças graves contra a democracia”, diz.

“Estamos diante de um dilema ético e político que coloca a vida dos brasileiros e o funcionamento das instituições sob sérios riscos. A pergunta é se vamos continuar desinfectando o vírus do Brasil, ou se seremos infectados pelas loucuras do Presidente?”, criticou.

Para Marina, será muito importante saber qual decisão Mandetta tomará diante da posição de Bolsonaro.

“O Ministro da Saúde terá que fazer uma escolha entre rasgar seu diploma médico e se opor ao juramento do código de ética profissional, ou se render ao comando irresponsável, autoritário e doentio do Presidente Jair Bolsonaro”, disse. “Até ontem era o comando do Ministro da Saúde que estava contribuindo de forma decisiva para conter a disseminação do coronavírus e no suporte do atendimento à população”, acrescentou.