Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Marina: ‘Crise sanitária escancarou de vez a geografia da falta de oportunidades’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva afirmou que o debate sobre desigualdade “precisa ser enfrentado como prioridade nas discussões sobre os caminhos necessários pós-pandemia” nesta segunda-feira, 27 pelas redes sociais. A avaliação da ex-ministra vem no gancho da notícia de que o patrimônio dos bilionários brasileiros cresceu durante a pandemia, na contramão da tendência de contração da economia e empobrecimento de parte significativa da população. 

A ex-candidata à Presidência Marina Silva

A ex-candidata à Presidência Marina Silva Foto: Hélvio Romero/Estadão

Um levantamento da ONG Oxfam com dados extraídos da lista dos mais ricos da Forbes divulgado nesta segunda revelou que entre 18 de março e 12 de julho, o patrimônio dos 42 bilionários do Brasil passou de cerca de R$ 629 bilhões para cerca de R$ 839,4 bilhões, um aumento de cerca de R$ 177 bilhões. “A crise sanitária escancarou de vez o mapa da ‘geografia da falta de oportunidades’ para muitos e da concentração nas mãos de poucos”, escreveu a ex-ministra.

Segundo o estudo, o cenário se repete no desempenho das fortunas dos 73 bilionários da América Latina e do Caribe, que aumentou cerca de 249 bilhões, ou o equivalente a um terço do total de recursos previstos em pacotes de estímulos econômicos adotados por todos os países da região. Segundo a ONG, desde o início das medidas de distanciamento social adotadas para evitar a proliferação coronavírus, oito novos bilionários surgiram na região ou um a cada duas semanas.