Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mato Grosso: Liderança embolada em disputa por vaga no Senado

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

No Mato Grosso, a disputa suplementar para uma vaga no Senado traz praticamente todos os candidatos embolados, considerando a margem de erro da pesquisa de 3 pontos porcentuais realizada pelo Ibope Inteligência em parceria com a Fecomércio-MG e divulgada na noite de sexta, 6.

Carlos Fávaro (PSD), Pedro Taques (SOLIDARIEDADE) e Nilson Leitão (PSDB) figuram com 13% das intenções de voto, cada um. Na sequência, Procurador Mauro, do PSOL, tem 9% das citações, Coronel Fernanda (PATRIOTA) tem 8% e José Medeiros (PODE) tem 7%. Os candidatos Sargento Elizeu Nascimento (DC) e Valdir Barranco (PT) aparecem com 5% e 4% das menções, respectivamente. Euclides Ribeiro (AVANTE) obtém 2% das respostas, Reinaldo Morais (PSC) é mencionado por 1% do eleitorado, enquanto Feliciano Azuaga (NOVO) não atinge 1% das respostas.

Entrevistados que declaram votar em branco ou nulo para senador somam 9% e os que não sabem ou não opinam são 15%.

O candidato mais rejeitado é Taques, com 30%, seguido de Leitão, com 16%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 30 de outubro e 2 de novembro com 812 eleitores. Está registrada no TRE-MT sob o protocolo MT-08527/2020.

A eleição se dá devido à cassação, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do mandato da ex-senadora Selma Arruda e de seus dois suplentes por caixa 2 e abuso do poder econômico na campanha de 2018. Senadora mais votada, Selma exerceu o mandato até abril deste ano. Desde então, sua vaga vem sendo ocupada pelo senador Carlos Fávaro, terceiro candidato mais votado no Estado. Como em 2018 a eleição era para duas das três vagas do Senado, o segundo colocado, senador Jayme Campos (DEM), já exerce o mandato desde fevereiro de 2019.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Mato Grossosenadoeleiçãosuplementar