Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

MBL tenta barrar contrato entre MEC e empresa acusada de corrupção

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

O Movimento Brasil Livre (MBL), por meio de seu advogado Rubinho Nunes, está entrando com uma ação popular contra o Ministério da Educação. O motivo é o contrato com uma empresa acusada de participar de um esquema que desviou R$ 134,2 milhões de dinheiro público da saúde e da educação na Paraíba, revelado pelo Estadão.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub

O ministro da Educação, Abraham Weintraub Foto: Dida Sampaio/Estadão

A Brink Mobil foi contratada pelo MEC para fornecer kits escolares para estudantes. Os mesmos kits que o ministro Abraham Weintraub propagandeou em vídeo divulgado em suas redes sociais. A ação do MBL pede para suspender liminarmente a contratação da empresa.  Há dois dias, Weintraub respondeu sobre o caso em seu Twitter, afirmando que quando a empresa ganhou a licitação, ela não estava condenada. “Eu não tenho como excluí-la (eu estaria cometendo um crime)”, justificou.

Tudo o que sabemos sobre:

MBLMECAbraham Weintraubcorrupçãoempresa