Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Meio Ambiente recua sobre evento da ONU em Salvador

Equipe BR Político

O governo brasileiro havia decidido não sediar a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, em Salvador (BA), em agosto, mas voltou atrás neste domingo, 19, após conversas com o Itamaraty e o prefeito ACM Neto (DEM), informa a Folha. Até que se chegasse a essa mudança de rumo, o governo classificara o evento como “coisa de ONG” e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, dissera que nada justificava realizar o encontro do clima em Salvador, a não ser para os participantes fazerem “turismo” e “comerem acarajé”. Afirmara também que “não apoiamos uma reunião organizada antes de nossa gestão, com uma pauta distinta da que preferimos”. A convenção é uma das etapas preparatórias da COP25, a ser realizada no Chile, em dezembro, porque o Brasil se recusou a sediar o maior evento da agenda climática no mundo.

Leia abaixo a nota do MMA:

“O Ministério do Meio Ambiente, através de entendimentos mantidos nesses últimos dias com o Prefeito de Salvador, o Ministro das Relações Exteriores e o novo Secretário-Executivo do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, decidiu formular proposta com ênfase na Agenda de Qualidade Ambiental Urbana e no Pagamento por Serviços Ambientais, através de instrumentos financeiros que visem dar efetividade econômica às atuais e futuras ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas no Brasil, a serem discutidas e apoiadas na Climate Week, em Salvador, bem como nos eventos subsequentes até a COP25, no Chile, os quais deverão contar com a participação deste Ministério do Meio Ambiente e do Ministério das Relações Exteriores”.