Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Meio Ambiente sobre nomeação no Ibama: ‘Pergunte ao Ramos’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) nomeou na segunda, 29, o empresário Glauco José Côrte Filho para a superintendência do Ibama em Santa Catarina por pressão do Centrão, agremiação partidária fisiológica. Ele, claro, não tem experiência profissional direta com o setor ambiental. Eis que questionado sobre a nomeação pela reportagem do Estadão, a pasta pediu que procurasse o ministro da Secretaria de Governo, sob o comando do general Luiz Eduardo Ramos.

“Sobre seus questionamentos, procure o Ramos, por favor. Essa foi uma indicação do ministro Ramos, da Secretaria de Governo”, declarou a área de comunicação do MMA.

O próprio Côrte Filho admitiu que seu novo posto foi uma indicação do Centrão. “A bancada me fez esse convite e eu assumi o desafio. Não tenho relação com o ministro Ramos, não tenho. Tive contato com ele, mas não tenho aproximação ou relação de amizade”, disse. Nas redes sociais, ele publicou foto recentemente abraçado com o empresário bolsonarista e dono das lojas Havan, Luciano Hang, que é de Santa Catarina.

Legislação

Por lei, a indicação para um cargo comissionado – neste caso, cargo DAS.4 –  prevê que a pessoa deve possuir experiência profissional de, no mínimo, três anos em atividades correlatas às áreas de atuação do órgão ou da entidade ou em áreas relacionadas às atribuições e às competências do cargo ou da função, lembra o repórter André Borges. Outra exigência é ter ocupado cargo em comissão ou função de confiança em qualquer poder, inclusive na administração pública indireta, de qualquer ente federativo por, no mínimo, dois anos, ou possuir título de especialista, mestre ou doutor em área correlata às áreas de atuação do órgão ou da entidade ou em áreas relacionadas às atribuições do cargo ou da função.