Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Meirelles não descarta alíquota progressiva previdenciária até 17%

Equipe BR Político

O secretário estadual da Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles, afirmou nesta terça-feira, 3, que o governo não descarta escalonar as contribuições previdenciárias de servidores estaduais na proposta de reforma da Previdência do Estado. Pelo texto atual, todos os servidores passariam a contribuir com 14% de seu salário, independentemente do quanto ganham. “Caso se decidisse fazer algo progressivo, teria que se manter a média de 14%, a média ponderada pelo valor dos salários”, disse Meirelles, após reunião com o colégio de líderes da Alesp.

Proposta ‘alternativa’ de Meirelles para servidores de SP é escalonar alíquotas Foto: Nilton Fukuda/Estadão

A proposta “alternativa” do secretário seria escalonar as alíquotas de contribuição entre 11% e 17% para os servidores públicos. Servidores que recebem salários menores pagariam 11% de contribuição, e essa taxa aumentaria até chegar aos 17% para salários mais altos. Dessa forma, segundo o secretário, a alíquota média de 14% seria mantida, e não haveria diferença na economia prevista pela reforma. “Do ponto de vista fiscal, não há diferença, mantendo-se os 14% de média. É uma questão agora de discussão agora parlamentar. Nossa proposta foi de fazer 14% (de contribuição previdenciária para todos os servidores), mas se os deputados quiserem fazer progressivamente de 11% a 17%, não tem problema, é factível”.