Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mendonça tenta vender que ‘trabalho’ de dossiês é prática corriqueira

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ministro da Justiça, André Mendonça, tentou vender na reunião com parlamentares para explicar o “dossiê” antifascistas de que não fez nada de mais. Tanto por informações vazadas do encontro, quanto em nota emitida pela pasta na noite desta sexta-feira, 7, Mendonça passou que se trata de uma “prática de inteligência” e não de uma perseguição contra opositores de Jair Bolsonaro.

“Destaquei que o trabalho, iniciado inclusive antes da minha gestão, se baseia em princípios de legalidade, impessoalidade, segregação da informação e sigilo, conforme determina a Lei nº 9.883/1999. A atividade de inteligência não é atividade de investigação”, disse Mendonça em nota.

Por relatos de quem esteve no encontro, Mendonça ainda apresentou “dossiês” de gestões passadas, em especial aqueles feitos em gestões petistas. Dentre os documentos apresentados, por exemplo, segundo o jornal Valor Econômico, estão os feitos durante as manifestações em 2013 e 2015.