Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mesmo com indiciamento, Covas mantém Alckmin em campanha

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), decidiu manter o ex-governador Geraldo Alckmin na coordenação do seu plano de governo para a campanha à reeleição neste ano. O anúncio da escolha de Alckmin estava prestes a ocorrer quando foi indiciado na Lava Jato pela Polícia Federal, na quinta-feira, 16, por suspeita de lavagem de dinheiro, corrupção e caixa dois. “O governador foi indiciado, não condenado. A partir de agora que ele será investigado. Não há nenhuma ação contra ele, nem réu ele é ainda. Confio plenamente na inocência do ex-governador Geraldo Alckmin”, afirmou Covas durante coletiva nesta sexta-feira, 17.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas Foto: Werther Santana/Estadão

Tucanos esperavam que, com o envolvimento de seu nome na operação, o ex-governador desistisse de participar da campanha de Covas, informou o Estadão na manhã desta sexta. Nos bastidores, o grupo ligado ao governador João Doria já resistia ao nome de Alckmin.

O coordenador da campanha de Bruno Covas Wilson Pedroso afirmou, no entanto, que Alckmin deve sim participar da campanha. “Nenhum tucano de verdade pensaria dessa forma. O ex-governador Geraldo Alckmin tem todo o nosso respeito por sua história, trajetória e realizações. É fundador do PSDB e agora, na coordenação do Plano de Governo da campanha de Bruno Covas, colocará sua experiência à disposição da cidade de São Paulo”