Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Militares atentos aos ciberataques

Equipe BR Político

A cúpula militar do governo está preocupada com os recentes ataques de hackers a celulares. Na esteira do desgaste envolvendo o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, os militares tentam convencer o presidente Jair Bolsonaro a usar os dispositivos de segurança disponíveis na Abin para a comunicação governamental. Eles acreditam que, assim, o chefe estaria mais protegido. Bolsonaro é usuário do WhatsApp mesmo em conversas com os ministros, que também possuem o telefone criptografado da agência de inteligência, o TCS. Apesar de as investidas dos hackers terem sido até agora direcionadas aos integrantes da Lava Jato, a sensação é de que ninguém está 100% seguro, dizem interlocutores de Jair Bolsonaro.

O pânico também bateu na Esplanada. Alguns trataram de limpar mensagens antigas enquanto outros buscaram entender o que é a ferramenta de dupla verificação. Um general muito próximo a Bolsonaro diz que ele manda “áudio, foto, vídeo” pelo WhatsApp e que “não tem a cabeça de um presidente, que precisa ser mais cuidadoso”. As Forças Armadas possuem o seu próprio aplicativo de mensagens, o Ebchat. A preocupação entre generais agora é saber se ele também pode ser vulnerável aos hackers, informou a Coluna do Estadão.