Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Militares tentam acalmar a tropa

Equipe BR Político

A cúpula das Forças Armadas age para acalmar a insatisfação na tropa por conta da perspectiva de perdas com o projeto de reforma da Previdência dos militares, que será conhecido nesta quarta-feira. Uma das preocupações é desmentir versões apresentadas anteriormente do projeto, informa o Estadão. Generais e coroneis afirmam aos subordinados que, caso seja aceito o projeto elaborado no Ministério da Defesa para a reestruturação da carreira (que acompanhará a reforma militar), ao final de 2023 a elevação dos salários de um general chegaria a 27% e de um praça (suboficial e sargento) a 46%.

A revolta nos praças se deve ao fato de que nas redes sociais circulava uma versão de que os generais seriam mais aquinhoados com o projeto que aqueles de patentes mais baixas. Suboficiais e sargentos, que formaram uma base eleitoral sólida de Jair Bolsonaro, mandaram mensagens ao próprio presidente enquanto ele estava em Washington para manifestar revolta com as versões que circularam do projeto.