Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ministério da Cidadania sem caixa para adiantar 2ª parcela dos R$ 600

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O Ministério da Cidadania recuou após anunciar a antecipação da segunda parcela da renda básica emergencial de R$ 600, e disse que não poderá realizar o adiantamento por falta temporária de dinheiro. O crédito de R$ 98,2 bilhões se mostrou insuficiente para atender à demanda, e a pasta já pediu a previsão de uma suplementação ao Ministério da Economia para “o mais rápido possível”.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, na coletiva desta terça

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni. Foto: Reprodução/TV BrasilGov

Em nota divulgada na noite de quarta-feira, 22, o Ministério da Cidadania disse que recebeu uma recomendação da Controladoria-Geral da União (CGU) a respeito da impossibilidade de antecipar a segunda parcela. “Por fatores legais e orçamentários, pelo alto número de requerentes que ainda estão em análise, estamos impedidos legalmente de fazer a antecipação da segunda parcela do auxílio emergencial”, diz o texto.

Agora, o calendário da segunda parcela agora deve ficar para maio, informou o Ministério da Cidadania. Mesmo antes da antecipação, a previsão era que a segunda prestação do auxílio fosse paga entre 27 e 30 de abril para quem não é beneficiário do Bolsa Família.