Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ministério da Justiça abre processo contra Cervejaria Backer

Equipe BR Político

O Ministério da Justiça e Segurança Pública instaurou um processo administrativo contra a Cervejaria Backer por problemas na campanha de recolhimento (recall) das cervejas contaminadas e pelas consequências do consumo das bebidas. A cerveja Belorizontina, produzida pela Backer, é suspeita de ter causado intoxicações e mortes por contaminação com as substâncias dietilenoglicol e monoetilenoglicol.

Instalações da cervejaria Backer, em Belo Horizonte

Instalações da cervejaria Backer, em Belo Horizonte Foto: Leonardo Augusto/Estadão

O processo foi instaurado por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon). Segundo o órgão, a cervejaria artesanal mineira não apresentou o recall quando tomou conhecimento do problema, como manda a lei, mas apenas depois de notificada pela Senacon. Quando foi formalizado o processo de recolhimento, a documentação não atendia aos requisitos da legislação, de acordo com o órgão, que defendeu que a atuação deveria ter sido mais célere e eficaz.

A cervejaria já é alvo de um inquérito criminal e um processo administrativo aberto pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que determinou a interdição da fábrica. A suspeita é que as cervejas produzidas pela empresa tenham causado a morte de seis pessoas devido à síndrome nefroneural associada ao consumo do produto. São 33 casos de intoxicação investigados pela Polícia Civil.

Se condenada, a cervejaria pode ter que pagar multa de até cerca de R$ 10 milhões.