Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ministério da Saúde recorre a médicos cubanos para combater o coronavírus

Equipe BR Político

Mais de um ano depois da saída de médicos cubanos que trabalhavam pelo programa Mais Médicos no Brasil, os profissionais de Cuba devem voltar a atuar no País no combate à epidemia do coronavírus. A informação foi dada pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, em entrevista ao Globonews

Segundo ele, a medida tenta repor parte dos médicos que ficarão afastados pela eventual contaminação pelo vírus durante o trabalho. Também serão chamados estudantes de medicina a partir do sexto ano de curso para atuar na atenção básica de saúde. 

A medida tentará repor médicos que ficarão afastados pela eventual contaminação pelo vírus

A medida tentará repor médicos que ficarão afastados pela eventual contaminação pelo vírus Foto: Adriano Machado/Reuters

“Na Itália aconteceu isso, 40% da força médica e de enfermagem a gente perde no transcorrer da doença, porque eles ficam doentes.”, afirmou o secretário. Serão chamados, diz, mais de 5 mil profissionais para reforçar a atenção básica de saúde durante o surto. “Vamos chamar a partir de amanhã (hoje, 16), todos os médicos cubanos que estavam trabalhando no programa inicial.”

Os médicos cubanos, que formavam cerca de metade do contingente de profissionais do programa Mais Médicos, começaram a deixar o País depois que o governo cubano anunciou que deixaria o programa em novembro de 2018. Na ocasião, o presidente eleito Jair Bolsonaro informou que o governo decidiu deixar o programa por não concordar com testes de capacidade. O Ministério de Saúde Pública de Cuba, afirmou, no entanto, que a decisão foi tomada em razão de “declarações ameaçadoras e depreciativas” de Bolsonaro. 

O programa que objetiva levar médicos a áreas que têm pouca cobertura do sistema de saúde foi reduzido ao longo de 2019. No fim do ano, uma medida provisória que cria o programa Médicos de Brasil em substituição foi publicada e tramita no Congresso como Projeto de Lei. Os cubanos que poderão participar do novo edital precisam ter permanecido em território nacional até a data da publicação da MP do Médicos Pelo Brasil, 1º de agosto de 2019, na condição de naturalizado, residente ou com pedido de refúgio.