Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Ministério Público pede que TCU investigue testes ‘encalhados’ de covid-19

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O subprocurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Furtado, enviou um pedido para que o TCU imponha uma medida ao Ministério da Saúde pela adoção de providências para o aproveitamento dos 6,86 milhões de testes para o diagnóstico da covid-19 que estão “encalhados” e correm o risco de serem desperdiçados pela data próxima ao vencimento. 

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello Foto: Gabriela Biló/Estadão

No domingo, o Estadão revelou que 96% dos exames comprados pelo Ministério da Saúde e ainda inutilizados (em comparação até agora o Brasil fez apenas cerca de 5 milhões de testes na população) perdem a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021 e podem acabar no lixo.

O documento do MP pede que o TCU também adote medidas necessárias a apurar eventual prejuízo ao erário, no valor de R$ 290 milhões, e à prestação dos serviços públicos de saúde no Brasil.

“Como se sabe – ao menos sabe quem prefere o conhecimento científico às folclóricas ‘simpatias’ no trato da saúde –, a testagem em massa da população constitui uma das mais importantes estratégias para o enfrentamento da crise sanitária global em curso”, diz o subprocurador no documento. “Conforme já alertei em oportunidades anteriores, o governo federal e o Ministério da Saúde tem dado as costas para as recomendações técnicas de respeitadas instituições internacionais, baseadas em estudos científicos, preferindo as autoridades públicas apostarem na produção de medicamentos baseados meramente em crenças que beiram à superstição”, argumenta.