Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ministro diz que fala foi ‘interpretada de modo descontextualizado’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Horas depois de o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de um inquérito contra o ministro da Educação, Milton Ribeiro, por homofobia, o auxiliar do presidente Jair Bolsonaro afirmou no Twitter que a “fala foi interpretada de modo descontextualizado”. A base para o pedido de Miranda foram as declarações do ministro em entrevista ao Estadão.

Na ocasião, ele atribui a homossexualidade de jovens a “famílias desajustadas”. Na rede social, Ribeiro se defendeu: “Jamais pretendi discriminar ou incentivar qualquer forma de discriminação em razão de orientação sexual.

Em mensagem na sequência, o ministro critica o uso de trechos da entrevista”retirados de seu contexto e com omissões parciais” nas redes sociais, “agravando interpretação equivocada e modificando o real sentido daquilo que se pretendeu expressar”, apontou.

Ele concluiu a declaração com um pedido de desculpas. “Por fim, diante de meus valores cristãos, registro minhas sinceras desculpas àqueles que se sentiram ofendidos e afirmo meu respeito a todo cidadão brasileiro, qual seja sua orientação sexual, posição política ou religiosa”, completou.

Tudo o que sabemos sobre:

inquéritoMilton RibeiroSTFhomofobiaPGR