Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ministro do Turismo contesta uso da teoria do domínio do fato

Equipe BR Político

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG), fez defesa enfática de que é inocente no âmbito do inquérito da PF sobre as suspeitas de comandar um esquema de desvio de verba eleitoral em 2018 por meio de candidaturas de fachada em Minas Gerais, na sessão de Fiscalização e Controle do Senado, nesta manhã de terça, 22. Ele reclamou dos 9 meses de investigação e da oitiva de 80 pessoas no caso. Segundo ele, não há “nenhuma pessoa” que tenha lhe atribuído procedimento inadequado. Álvaro Antônio afirmou que ele foi denunciado com base na teoria do domínio do fato – tese jurídica que ficou famosa no julgamento do mensalão. “Essa teoria foi utilizada de forma errônea porque a teoria se aplica quando há comprovação de que a pessoa teve ciência dos fatos. Não há nenhuma comprovação de que eu tivesse envolvimento ou ciência do que estava ocorrendo no partido”, afirmou.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Marcelo Álvaro AntônioPSL