Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ministro venezuelano reporta ‘normalidade’ nos quartéis

Equipe BR Político

Na versão do governo venezuelano, eles negam que os militares estejam dando apoio ao chamado do líder oposicionista Juan Guaidó para ir às ruas pela derrubada do regime na manhã desta terça-feira, 30. O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino, afirmou em sua conta no Twitter que há normalidade nos quartéis e chamou de “golpista” a convocação de Guaidó. Padrino garantiu que a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) “se mantém firme em defesa da Constituição Nacional e de suas autoridades legítimas”. “Todas as unidades militares implantadas reportam normalidade em seus quartéis e bases militares”, escreveu.

“Rejeitamos este movimento golpista que pretende encher o país de violência. Os pseudolíderes políticos que se colocaram à frente deste movimento subversivo, utilizaram tropas e policiais com armas de guerra em uma via pública da cidade para criar rebuliço e terror”, afirmou . O ministro da Comunicação da Venezuela, Jorge Rodríguez, afirmou há pouco que o governo está “enfrentando e desativando um pequeno grupo de militares traidores que se posicionaram para promover um golpe de Estado”, escreveu no Twitter. Na mesma rede social, o secretário-geral das Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro,  cumprimentou a adesão dos militares à ofensiva de Guaidó.