Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Ministério estuda gastar R$ 250 mi com ‘kit-covid’ em farmácias populares

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O Ministério da Saúde estuda gastar até R$ 250 milhões para oferecer comprimidos encalhados de hidroxicloroquina e azitromicina no programa Farmácia Popular. O plano prevê reembolsar farmácias conveniadas para que incluam os medicamentos no chamado “kit covid” e o distribuam de graça. As informações foram reveladas pelo repórter Mateus Vargas, no Estadão, desta sexta-feira, 11.

O estudo para inserir os medicamentos no Farmácia Popular corre em sigilo no Ministério da Saúde. Foto Paulo Liebert/AE

O País tem mais 2,5 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina encalhados nos estoques. O medicamento, assim como a azitromicina, não têm eficácia comprovada contra o novo coronavírus, mas são defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro no tratamento da covid-19.

O estudo para inserir os medicamentos no Farmácia Popular corre em sigilo no Ministério da Saúde desde o começo de julho. Nesta semana, a proposta recebeu aval da área jurídica e chegou às mãos do ministro Eduardo Pazuello.

Com os mesmos R$ 250 milhões previstos para distribuir o “kit-covid” seria possível ao governo comprar 13,18 milhões de doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford e pelo laboratório AstraZeneca, ao preço de R$ 18,95 por unidade, suficiente para imunizar quase 7 milhões de pessoas.