Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mistérios do WhatsApp

Equipe BR Político

“Ao que tudo indica, as campanhas compraram ilegalmente bases de dados de empresas financeiras ou de telecomunicações contendo números de celulares e informações demográficas de milhões de usuários (sexo, idade, residência etc.)”, escreveu Pablo Ortellado na Folha.

A prática, lembra o colunista, é proibida por lei. Ele sintetiza as informações já disponíveis sobre o uso do WhatsApp nas eleições deste ano e afirma que ainda há muito o que esclarecer.

Tudo o que sabemos sobre:

WhatsaAppcompra de dadoseleição 2018