Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Momento político não é favorável para acordo entre UE e Mercosul, diz diretor da OMC

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Na avaliação do diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, momento político não é o “mais favorável” para a conclusão do acordo entre o Mercosul e a União Europeia, que ainda precisa ser ratificado pelos 27 parlamentos dos países que compõe o bloco. Nos últimos meses, países como a França e a Holanda colocaram em dúvida se vão ou não fechar o acordo por conta da política ambiental do País.

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo Foto: Luis Cortes/Reuters

Nesta terça-feira, 4, em evento online promovido pela Câmara de Comércio Internacional no Brasil (ICC Brasil) e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Azevêdo disse que, no pós-pandemia, os países deverão levar um tempo na análise de questões domésticas e que a busca por acordos bilaterais não deve ser priorizada.

“Com pandemia em curso, com a desaceleração tão dramática das economias, haverá pressões imagino que dos dois lados para evitar choques de oferta e demanda, sobretudo de oferta, muito fortes neste momento”, avaliou.

Azevêdo, que deixa o cargo no fim deste mês, recomendou que os negociadores procurem “pensar no longo prazo”, mas sem perder o senso de urgência.

Tudo o que sabemos sobre:

OMCacordo comercialUnião EuropeiaMercosul