Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Moraes prorroga inquérito sobre interferência na PF

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes decidiu prorrogar por mais 60 dias o inquérito que apura a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na autonomia da Polícia Federal nesta sexta-feira, 27. O ministro, que relata o inquérito desde a aposentadoria de Celso de Mello, pediu uma manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre a desistência de Bolsonaro de prestar depoimento no processo.

O ministro do STF Alexandre de Moraes

O ministro do STF Alexandre de Moraes Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O prazo do fim das investigações foi uma das razões citadas pelo presidente para abrir mão do depoimento e pedir que a PF conclua as apurações. A manifestação de Aras em que ele opinará sobre a necessidade do depoimento de Bolsonaro para as investigações deverá ser enviada em cinco dias. 

O depoimento do presidente é o único passo que falta para a conclusão das apurações da PF, que enviará posteriormente relatório à PGR para decisão sobre a apresentação ou não de denúncia contra Bolsonaro no caso.

Em junho o chefe do Planalto havia afirmado que prestaria depoimento presencial ou por escrito “sem problema nenhum”. Na quinta, 26, quando a Advocacia-Geral da União informou a desistência, afirmou como justificativa que a reunião minsiterial de 22 de abril demonstrou “infundadas ilações” sobre a interferência do presidente para proteger a família, teoria exposta pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.