Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Moro à Time: ‘Não entrei no governo para seguir um mestre’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Quase um mês depois de pedir demissão do cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro afirmou à revista norte-americana Time que não tinha a intenção de prejudicar o Planalto com sua saída, e que “não entrou no governo para seguir um mestre”. “Entrei para servir ao País. À lei”, afirmou o ex-juiz.

O presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro

O presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro Foto: Dida Sampaio/Estadão

A publicação destaca a alta popularidade que Moro tinha dentro do governo, mas que não foi suficiente para mantê-lo no cargo. Ao anunciar o pedido de demissão na manhã de 24 de abril, Moro saiu atirando contra Jair Bolsonaro. Disse que o presidente, desde o ano passado, tentava interferir na autonomia da Polícia Federal.

“Não era minha intenção atingir o governo”, disse. “Mas eu não me sentiria confortável com minha consciência sem explicar por que eu estava saindo”. Como de costume, Moro desconversa sobre a possibilidade de ser candidato nas próximas eleições. “Essa não é a preocupação do momento”, diz ele. “Acabei de sair do governo. Eu preciso restabelecer minha vida privada. E estamos no meio de uma pandemia. ”

O ex-ministro foi questionado sobre se teria aceitado o cargo se as coisas tivessem sido diferentes e, se em 2018, o PT tivesse vencido a eleição presidencial. O ex-juiz da Lava Jato disse que isso “não seria possível sem que o PT reconheça seus erros passados”. “Precisa ser um compromisso sério”, afirmou. “Infelizmente, o governo que foi eleito também não tinha isso”, afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:

sergio moroTimemestreJair Bolsonarogoverno