Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Moro admite ‘dificuldade’ em tocar pacote anticrime

Equipe BR Político

Não é segredo para ninguém que o pacote anticrime tem caminhado aos trancos e barrancos no Congresso. Entregue pelo governo em fevereiro, o projeto dos olhos do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, tem passado por uma série de reveses. O último, foi a suspensão da recém-lançada campanha publicitária.

Tanto é, que nesta sexta-feira, 11, o próprio Moro admitiu que há “alguma dificuldade” em levar o projeto adiante no Congresso. “Apresentamos o projeto no início como uma mensagem clara à população de que estamos aqui e compartilhamos essa solução com o Congresso, mas estamos vendo alguma dificuldade. Houve uma clara priorização da reforma da Previdência, que é compreensível. Mas temos a expectativa de avançar nessa pauta, que é extremamente importante”, disse o ministro, em discurso no Fórum de Investimentos Brasil 2019, na Capital. Moro acredita, no entanto, que é possível avançar nesse tema por meio de ações do Poder Executivo, segundo o Broadcast Político.

“Mas não ignoramos a importância do Legislativo”, afirmou. O ex-juiz também destacou a Lava Jato.
“A não ser que você tenha ido para outro planeta nos últimos cinco anos, a Lava Jato expôs as entranhas da corrupção, que já existia e estava espraiada”, disse.

“A imprensa às vezes fala em derrotas da Lava Jato, mas na verdade as conquistas anticorrupção são da democracia. É o império do direito e isso é bom para todo mundo, para os negócios e para a autoestima dos brasileiros, que querem viver num país sem corrupção”, afirmou.