por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Moro elogia ‘ciclo virtuoso’ seguido pelo STF, mas admite ‘reveses’

Marcelo de Moraes

Em entrevista ao Estadão, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, diz que o Supremo Tribunal Federal tem desempenhado um “papel muito relevante” no combate à corrupção e “seguido um círculo virtuoso”. Mas admite que “houve alguns reveses”, como na decisão de entender que a Justiça Eleitoral tem competência para julgar crimes eleitorais com crimes conexos de corrupção e lavagem de dinheiro.

“O Supremo tem um papel muito relevante, o marco foi o julgamento da Ação Penal 470, o caso do mensalão. O Supremo passa a admitir que a execução de uma condenação seria a partir da segunda instância. Depois o Supremo julgou a proibição de doações de empresas nas eleições. Depois houve aquela decisão de redução do foro privilegiado. O Supremo seguiu o ciclo virtuoso, mas houve alguns reveses, (como) essa decisão de entender que a Justiça Eleitoral é competente para crimes eleitorais com crimes conexos de corrupção e lavagem. Respeitosamente, uma decisão que não é boa. A Justiça Eleitoral não é o melhor lugar para tratar desses casos. Faz um trabalho fantástico nas eleições para resolver disputas eleitorais, mas não é uma Justiça habilitada estruturalmente para julgar esses casos mais complexos. Foi uma decisão ruim que não desmerece os precedentes anteriores”, diz.

Tudo o que sabemos sobre:

sergio moro