Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Moro flertando com o Novo?

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

A posição política de Sérgio Moro pode ser uma das importantes peças no tabuleiro para as próximas eleições presidenciais. Desde antes de entrar no Ministério da Justiça, o ex-juiz já era cortejado pelo Podemos de Alvaro Dias. Agora, o ex-ministro parece estar retribuindo às piscadelas do Novo, de João Amoêdo.

O ex-ministro Sérgio Moro

O ex-ministro Sérgio Moro Foto: Gabriela Bilo/Estadão

Na última terça-feira, 14, Moro respondeu ao líder da sigla em seu Twitter. “Obrigado pelo apoio, João Amoêdo”, disse Moro. “Sigo firme acreditando nos meus princípios mesmo arcando com as consequências”, completou. O flerte começou com uma mensagem de Amoêdo que reclamou de um grupo de advogados avisam que resistiram ao registro de Moro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). “Ao invés de valorizar e reconhecer quem realizou um trabalho histórico e corajoso, enfrentando a corrupção e a impunidade, determinados grupos procuram manchar reputações ilibadas, como a de Moro”, disse Amoêdo.

Tanto o Podemos quanto o Novo tentaram se vender nas últimas eleições presidenciais como bastiões da direita. Alvaro Dias defendia incondicionalmente a Lava Jato. Amoêdo também apelava ao discurso anticorrupção, mas focava mais em propostas liberais para a Economia. O senador paranaense não teve nem 1% dos votos válidos e Amoêdo consegui cerca de 2,5% do eleitorado. Ou seja, não fizeram cócegas em Jair Bolsonaro.

Moro seria, portanto uma oportunidade para siglas ainda menores darem um salto. Nessa, entra até mesmo o PSL, agora sem ter Bolsonaro como filiado. O ex-ministro ainda é classificado por parte da população como um símbolo do combate contra a corrupção. Ainda Moro, desde que saiu do governo, tem se colocado como um contraponto. Enquanto Bolsonaro vê seu clã envolvido em problemas com a Justiça, como no caso Fabrício Queiroz, Moro continua se vendendo como um defensor de medidas mais duras contra criminosos do colarinho branco.

Tudo isso pode ser uma vantagem em uma disputa eleitoral entre dois candidatos que se identificam no mesmo espectro ideológico. Novo, Podemos, PSL e qualquer sigla que queira combater Jair Bolsonaro em seu próprio tabuleiro, estão de olho.

Tudo o que sabemos sobre:

sergio moroJoão AmoedoNovo