Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mortes pela covid preocupam mais do que crise econômica, aponta Atlas Político

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Com seis meses da pandemia do novo coronavírus, a maioria da população afirma estar mais preocupada com as pessoas que ainda poderão morrer por conta da covid-19 do que com o impacto da crise sanitária na economia. É isso que indica levantamento do Instituto Atlas Político divulgado nesta segunda-feira, 14.

Foto: Reprodução Instituto Atlas Político

Entre os 1.514 entrevistados, 61,5% dizem estar mais preocupados com as futuras vítimas da doença, enquanto 32,7% afirmam que o impacto na economia é o mais causa apreensão, outros 5,9% disseram não saber.

Dados do Ministério da Saúde de domingo à noite indicam que o País tem 4.330.455 casos confirmados da doença e 131.625 óbitos registrados.

Quando comparada a opinião de eleitores do presidente Jair Bolsonaro e de Fernando Haddad no segundo turno das eleições de 2018, é marcante a diferença de posicionamento dos entrevistados: 82% dos eleitores do petista se dizem mais preocupados com as mortes futuras, ante 39% dos bolsonaristas, que acompanham os discursos pró-economia feitos pelo presidente.

Quando a preocupação principal é a econômica, a proporção se inverte: 52% estão mais apreensivos com o impacto da pandemia sobre a economia, ante 17% dos eleitores de Haddad.

Ao serem perguntados se concordam com as medidas de contenção ao coronavírus impostas pelas autoridades, como suspensão das aulas, fechamento do comércio e limitações na circulação de pessoas, a pesquisa indica que: 63,7% dizem concordar com as medidas, ante 31,7% que descordam. 4,5% dizem não saber. Entre os que concordam, 91% declararam voto em Haddad, ante 39% que se disseram eleitores de Bolsonaro. A parcela que diz não concordar é composta por 55% de eleitores bolsonaristas, ante 7% de haddadistas.

O levantamento foi realizado entre os dias 26 de agosto e 1º de setembro. A margem de erro é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi realizada com coleta aleatória via questionário estruturado na internet com eleitores de 92 bairros de São Paulo. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o nº SP-06002/2020.