Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mourão diz que exportação de madeira ilegal ‘é uma questão de empresas’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Depois que o embaixador da Dinamarca no Brasil, Nicolai Prytz, criticou as acusações do presidente Jair Bolsonaro sobre exportação de madeira ilegal e afirmou que não se pode culpar nações inteiras pelos crimes, o vice-presidente Hamilton Mourão tentou remediar a situação e afirmou que “é uma questão de empresas” e não de países nesta quinta-feira, 19. A fala de Bolsonaro ocorreu durante a reunião da Cúpula dos Brics na terça. O presidente afirmou que revelaria “nos próximos dias” a lista dos países que compram madeira ilegal da Amazônia. 

O vice-presidente Hamilton Mourão

O vice-presidente Hamilton Mourão Foto: Marcos Correa/PR

Mourão afirmou que Bolsonaro “deixou claro” que estaria se referindo a empresas. Na ocasião, no entanto, Bolsonaro ainda reafirmou que divulgaria “os nomes dos países” que importam madeira ilegal da Amazônia. “Alguns desses países são os mais severos críticos ao meu governo tocante a essa região amazônica”, completou.

Nesta quinta, o embaixador dinamarquês afirmou ao Estadão ter ficado surpreso com a afirmação do presidente de que países como a Dinamarca têm atuado como “receptadores” de madeira extraída ilegalmente da Amazônia. Segundo ele, se os crimes existirem e envolverem o país, as autoridades brasileiras deveriam contatar as do país para uma investigação. “É assim que funciona, e isso vale para qualquer matéria, não só sobre um crime com madeira, mas qualquer outro assunto”, disse.